ZAGARI
  Telefone
  
 
As Minhas Compras
0 produtos: 0,00€ EUR
 
 
 

Juntos para Sempre

O Anel de Noivado e o Diamante


06-06-2011

 

Maria de Borgonha - A primeira mulher a ser presenteada com um anel de noivado
   
Tiffany Setting
   
Ao longo da história, os diamantes foram sempre associados às coisas belas, e a sua misteriosa luz interior, ao fogo do amor e da paixão. Um anel com diamantes é geralmente entendido como o símbolo do amor eterno, é por esse motivo que é a jóia de eleição para assinalar um noivado.

Existem duas explicações para a simbologia atribuída ao diamante: a primeira, mais técnica, faz referência à dureza da pedra, já que o diamante é o mineral mais duro que conhecemos, capaz até de resistir ao fogo, logo, perfeito para simbolizar um vínculo indissolúvel. A segunda, mais romântica, envolve uma crença dos antigos Gregos, que acreditavam que a ponta das flechas do cupido eram feitas de diamante. É possível que, por essas duas razões, a pedra tenha ficado conhecida nos nossos dias como a pedra do amor, ou pedra de Vénus.

O primeiro anel de noivado de que a história tem registo foi oferecido em 1477 pelo arquiduque Maximiliano da Áustria à princesa Maria de Borgonha. O arquiduque ordenou que procurassem o diamante mais puro, independentemente do seu tamanho, e que fosse feito um anel simples, com essa única gema cravada. E assim nascia o célebre “solitário”. Consta que até esta data os anéis com diamantes eram somente usados pelos homens e foi a partir de então que o diamante foi caracterizado como a jóia da noiva. O anel de noivado passou então a assinalar o período observado entre o pedido de casamento e a realização da cerimónia matrimonial.

Foi apenas centenas de anos mais tarde, em 1886, que foi criado o “Tiffany Setting”, o mais famoso anel de noivado, que deu início a uma nova tradição na joalharia – a do anel de noivado. Este anel deveria ser em ouro, com um diamante cravado de talha brilhante: o solitário. A talha brilhante é a forma de lapidação que mais evidencia o brilho natural do diamante.

A preferência pelo diamante no anel de noivado tem a sua justificação nas características desta gema. O diamante é muitas vezes descrito como indestrutível e imperecível, tal como o amor verdadeiro. Nada mais perfeito para simbolizar a Eternidade. Por este motivo, nunca se poderá fazer esta alusão com uma Zircónia, pois esta é muito mais frágil e susceptível ao risco, para além de perder o seu brilho rapidamente e de ser criada artificialmente (não se encontra na natureza). Por todos estes motivos, a zircónia traduz exactamente o oposto do diamante.

Presentemente, existe uma grande diversidade de anéis de noivado com diamantes, com diferentes tipos de lapidação, que permite a qualquer noiva colocar no dedo o seu anel de sonho. O design destas peças evoluiu para além do costumado Solitário e, presentemente já é admissível encontrar anéis de noivado com mais do que um diamante.
 

                 
   
 
 

 
Subscrever Newsletter 
Subscreva a nossa newsletter e receba em exclusivo as últimas novidades e promoções   
 

 
  Siga-nos no Pinterest   Siga-nos no Facebook PAYPAL
 

  Sobre a ZAGARI   Serviço   A Minha Conta   Loja   Mais Info   Vantagens na ZAGARI  

  Quem Somos   Apoio ao Cliente   Registar-se   Chaves   Notícias   Vantagens na ZAGARI Marcas 100% autênticas  
  Contactos   Pagamentos   Login       Marcas   Vantagens na ZAGARI Coleções atuais  
  Condições de Comercialização   Condições de Envio   Alterar Dados Pessoais           Vantagens na ZAGARI 30 dias para devolução  
  Política de Privacidade   Assistência Técnica   Recuperar Password           Vantagens na ZAGARI Excelente serviço pós-venda  
      Garantia   Newsletter           Vantagens na ZAGARI Envio com seguro  
          Estado da minha encomenda           Vantagens na ZAGARI Envio grátis, compras mais de 35€  
          Histórico de encomendas           Vantagens na ZAGARI Envio imediato, produtos em stock  

 
Copyright © ZAGARI - Jóias e Perfumes, Lda. 1999-2017, Todos os direitos reservados.
Marcas, logotipos ou nomes comerciais pertencem aos respetivos proprietários.